Não é de hoje que americanos trabalham com entreguistas para pôr as mãos no nosso Pré-Sal

não é só a chevron

A gente, aqui do Muda Mais Congresso, gosta de reviver umas coisas pra ajudar o pessoal que tem memória seletiva. Lembram daquele climão entre a presidenta Dilma Rousseff e o presidente Barack Obama, em 2013, quando documentos revelados por Edward Snowden (ex-técnico da NSA) mostraram que os Estados Unidos estavam monitorando as conversas de Dilma? Bom, a partir daí,  Dilma fez um discurso memorável na ONU sobre direito à privacidade, demos seguimento às discussões do Marco Civil da Internet (que foi aprovado em 2014) e a presidenta  cancelou a visita que faria a Obama ( as relações ficaram estremecidas por um bom tempo), mas a coisa não parou por aí.
Os mesmos documentos mostram também que a agência de inteligência americana, a National Security Agency (NSA), espiona setores estratégicos de países, como energia e telecomunicações. A Petrobras é a empresa com maior foco da NSA no Brasil. Por quê? Porque é estratégico. Porque petróleo é riqueza, é importância na geopolítica, garante status e poder, provoca guerras. Sabe quem não entende isso? Os entreguistas. Já mostramos aqui como Serra prometeu a Petrobras à Chevron, como Ferraço prometeu à Shell, como FHC prometeu a estatal ao FMI antes mesmo de ser candidato.

Na época do vazamento dos documentos, em 2013, o o diretor de inteligência nacional dos Estados Unidos, James Clapper, disse: “Não é segredo que a comunidade de inteligência coleta informações sobre assuntos financeiros e econômicos e de financiamento de terrorismo”.

Peraí, a Petrobras não financia atividades consideradas “terrorismo” pelos norte-americanos. Esse papo não engana ninguém, né? Na verdade, os norte-americanos estão interessados mesmo (e pouca coisa mudou nos últimos dois anos, desde a divulgação dos documentos) é na nossa tecnologia de exploração do petróleo em camadas profundas (leia-se Pré-Sal). E na maior reserva petrolífera descoberta no séxulo XXI (de novo, o Pré-Sal).
Diante de evidências tão contundentes, é impossível não perceber para quem trabalham aqueles que querem entregar o nosso petróleo às exploradoras estrangeiras e que lutam, todos os dias, pela desconstrução da Petrobras como estatal (como TarjaPreta e ShellFerraço). Existe um motivo para os entreguistas tentarem vincular a estatal à pecha da corrupção e investirem no conto da carochinha de que a Petrobras não dá conta de explorar o Pré-Sal, mesmo sendo uma das maiores do mundo: interesses capitalistas no nosso petróleo.

Anúncios

2 comentários sobre “Não é de hoje que americanos trabalham com entreguistas para pôr as mãos no nosso Pré-Sal

  1. Pingback: Eduardo Cunha & Mendonça Filho (DEM-PE): os deputados que querem entregar o Pré-Sal | Muda Mais Congresso

  2. Pingback: Cunha e Picciani começam as movimentações para votar projeto que acaba com sistema de partilha da Petrobrás | Muda Mais Congresso

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s